compras

Tipos de remuneração no marketing de afiliados: CPC, CPV e CPL

Marketing, 1 de novembro de 2018

Que o marketing de afiliados é uma boa alternativa para monetizar sites e gerar renda na internet não é novidade. Porém, muitos afiliados ainda têm dúvidas sobre as possibilidades de remuneração nesse mercado. Neste artigo, falaremos especificamente de três tipos de remuneração no marketing de afiliados que podem ser bem interessantes para o seu negócio: Custo por Clique (CPC), Custo por Venda (CPV) e Custo por Lead (CPL).
Se você tem um site, cultiva uma audiência considerável e ainda não ganha dinheiro com marketing de afiliados, considere essa possibilidade. Essa técnica consiste, basicamente, em promover produtos de terceiros, os anunciantes, em troca de uma
remuneração.
O marketing de afiliados é uma forma de publicidade que vem ganhando espaço no mercado, tornando possível a monetização de sites do lado dos afiliados, assim como uma propaganda mais efetiva do lado dos anunciantes.

Remuneração de afiliados
Os afiliados são remunerados de acordo com cada modelo de campanha. A remuneração acontece dentro dos programas de afiliados. Esses programas podem ser administrados pelas próprias marcas ou concentrados em empresas de afiliação, como é o caso da Afilio. Em plataformas como a Afilio, por exemplo, o afiliado tem acesso a diversos anunciantes e campanhas, concentrando e controlando suas ações de marketing em uma única ferramenta.
É nesse ambiente também que o afiliado controla sua remuneração, com os ganhos vindos de cada anunciante.
A remuneração do afiliado é o comissionamento oferecido pelo anunciante, pela divulgação de determinado produto ou serviço.
Essa comissão pode vir de um clique, um cadastro efetuado ou até uma venda. Pode ser uma porcentagem sobre o valor do produto ou um custo fixo. É por isso que, ao escolher um programa de afiliado para participar, é preciso avaliar as formas de remuneração e quais são mais vantajosas para o seu tipo de negócio e público.

Remuneração por Clique (CPC)
Considere a seguinte situação do dia a dia: alguém navega pela internet, faz uma busca, cai em um site, lê um artigo e, em determinado momento, um banner naquele site chama a atenção. O que ele faz? Clica na publicidade. Pronto, se o dono deste
site é um afiliado, ele acaba de ganhar dinheiro com aquele clique.

É assim que funciona a remuneração por clique no marketing de afiliados. Neste caso, a comissão do afiliado é registrada quando acontece o clique de um visitante em qualquer peça publicitária. Isso inclui banners, links, pop-ups, e-mail marketing ou qualquer espaço publicitário.

No modelo Custo por Clique (CPC), também conhecido por Pay Per Click (PPC), o afiliado recebe um valor fixo, determinado pelo anunciante. Esse tipo de remuneração é mais indicado para sites e blogs com grande tráfego, ou seja, muitas visitas.
Ele permite avaliar de forma bem precisa a eficiência de um banner, por exemplo. É possível saber exatamente quantos cliques foram feitos naquela publicidade, sabendo quantas pessoas foram impactadas por aquela campanha.
Do lado do anunciante, também é vantajoso pois possibilita um maior controle das ações e dos comissionamentos. É um modelo mais fácil de controlar e precificar. Mas, não esqueça que o clique no anúncio é só o primeiro passo do usuário. Afinal, o
que todo anunciante quer é mesmo a venda lá no final da jornada do consumidor. Portanto, cuidado com o conteúdo publicitário que vai gerar o clique e certifique-se de que ele não é enganoso para seu público.

Remuneração por Venda (CPV)
O próprio nome já dá uma ideia de como funciona o Custo por Venda (CPV). É um modelo muito atrativo para sites com menos tráfego mas como um público qualificado. Consiste em um tipo bem comum entre os anunciantes e muito aplicado no mercado,
principalmente com infoprodutos. Funciona da seguinte forma: ao se cadastrar na plataforma de afiliação e na campanha por CPV, o afiliado gera um link único. É esse link que ele vai promover em seu site, redes sociais e e-mail marketing, para que as pessoas acessem e ele receba a comissão.
Esse link único serve para que a plataforma identifique que a venda gerada veio daquele afiliado. Uma curiosidade é que, em alguns programas de afiliados, há um período de tempo máximo para que o afiliado receba a comissão por uma compra. Por exemplo, se um usuário entrou no seu site, clicou no seu link único, foi para o site do anunciante e não fez a compra, caso ele volte e compre em 30 dias, a comissão ainda vai para você (mas esse período varia de acordo com o anunciante).
Os links exclusivos são gerados pela plataforma cada vez que alguém solicita afiliação a um produto. Por isso, as compras devem ser efetuadas sempre por esse link, para que as comissões sejam processadas automaticamente no momento da compra.
A porcentagem da comissão também pode variar bastante. O que depende também do tíquete médio do produto. Esse modelo é bastante usado em e-commerces, de todos os portes.
Remuneração por Lead (CPL)
Lead é um termo que, no marketing digital, designa o cadastro de um usuário
interessado em determinada marca, produto ou serviço. Hoje, o lead é um dos dados mais valiosos para futuras conversões.
É justamente por isso que anunciantes investem em produtos e conteúdos gratuitos, com acesso por meio de cadastro. Basta um e-mail do usuário para poder começar uma comunicação de venda, e em muitos formulários são pedidos até dados mais
específicos, que qualificam cada vez mais aquele lead. No modelo de remuneração de Custo por Lead (CPL), o afiliado é remunerado pelo número de cadastros. Porém, aqui cabe uma ressalva: são computados os leads gerados e validados pela plataforma. E-mails e outros dados inválidos, por exemplo, não são comissionados.
O afiliado ganha, então, com cada cadastro feito no site ou Landing Page do anunciante. Neste caso, não é preciso haver uma venda. É um modelo muito usado atualmente nos programas de afiliados. Sabe por que?
Porque os anunciantes já entenderam o valor de uma boa base de leads, que constituem potenciais clientes.
Muito usado também nas redes sociais, como iscas para captar contatos de possíveis novos clientes. Normalmente, é oferecida uma comissão fixa a cada cadastro gerado.
Vale lembrar que tanto o Custo por Venda (CPV) quanto o Custo por Lead (CPL) são
muito parecidos com o CPA (Custo por Ação). Por isso, podem ser confundidos constantemente.
No modelo de remuneração por ação, o afiliado é remunerado quando o usuário não só clica na peça publicitária mas também realiza uma ação específica no site do anunciante. E essa ação pode ser tanto um cadastro (gerando um lead) quanto uma
conversão (gerando uma venda).

Gostou das dicas? Se você ainda tem dúvidas sobre qual tipo de remuneração é mais vantajosa para trabalhar o marketing de afiliados no seu site, não deixe de nos procurar!
A Afilio possui muitos anunciantes cadastrados e campanhas disponíveis, e com certeza há opções para seu tipo de negócio.

Converse com nossa equipe!

facebooktwittergoogle_pluslinkedinmail